02 dezembro 2015

Dilmês: o idioma da mulher sapiens, de Celso Arnaldo Araujo - o uso da análise textual para fins preconceituosos e machistas

Dilmês: o idioma da mulher sapiens, de Celso Arnaldo Araujo e publicado recentemente pelo Grupo Editorial Record, é um livro que me causa incomodo mesmo antes de eu o ter lido.

O livro se propõe a analisar os discursos proferidos pela Presidenta, disponíveis na integra no Portal do Planalto. Contudo, a análise não perpassa tão somente o objetivo de mostrar as contradições, incoerências e todos os problemas de construção textual que os discursos evidenciam. O objetiva vai além o de mostrar a falta de preparo oratório de Dilma, ele busca, pelo que eu percebi na sinopse e no texto de divulgação, ridicularizar essa deficiência da candidata, como podemos perceber em: "uma viagem ao centro do saara cerebral de Dilma Roussef".



Ora, aqui estamos muito longe apenas de uma crítica sobre a oratória da pessoa em questão, estamos chamando o seu cérebro de deserto, ideia que evoca a inexistência, o vazio. Porém, o fato de não se saber expressar em palavras não implica uma inexistência de habilidades outras, que sejam tão prementes ao cargo ocupado.

Lembremos de Fernando Collor de Melo. Ele tinha boa aparência e falava super bem, nem por isso deixou de ser um péssimo presidente e de se envolver nos mais diversos escândalos, que culminaram no pedido de impeachment.

Se abordar os discursos dessa maneira “bufa” já não fosse algo ruim, pensem no subtítulo do livro “o idioma da mulher sapiens”. Ele troca o homo, indicador de homem na nomenclatura das espécies, por mulher, criando uma nova categoria e, essa, a de uma mulher que pretensamente seria sapiens.

Pode-se considerar isso pelo teor do texto divulgado sobre o conteúdo do livro. Há uma discordância proposital. Há aí um ataque velado à figura feminina, não tão somente a figura pública que exerce o mais alto cargo na política brasileira.

Não creio que outro presidente, por mais incompetente que tenha sido, seja em oratória ou em qualquer outra pretensa habilidade que deveria ter, tenha tido esse tipo de tratamento. Presidentes, homens.

No caso, Dilma, por ser mulher acaba passando por situações como essa, em que afirmam que ela não sabe o que fala e não sabe o que faz, uma prática abusiva, que faz as pessoas e mesmo a vítima do abuso a duvidar de suas próprias capacidades.


No mais, não sei se há alguma relação entre a inabilidade linguística de Dilma com o fato de ela ter sido torturada, mas acredito que, talvez, em algum grau a sua capacidade linguística tenha sido afetada pelas torturas sofridas durante a Ditadura Militar. E mesmo que não tenha, ridicularizar uma pessoa só por ela não ter tal habilidade, só porque algumas pessoas a acham imprescindíveis, é um erro. É inclusive algo com que os Estudos Linguísticos não compactuam. Uma coisa é mostrar a incoerência do enunciado, outra coisa é fazer do que enuncia alvo de bullying.

Gostou da postagem? Não gostou? Quer dar alguma sugestão? Deixa um comentário. Não deixe de curtir também a nossa página no FB e nem de se inscrever no nosso canal do youtube!

14 comentários:

  1. O post parece escrito por uma feminista mongolóide...
    No mínimo petista roxo.
    Quem inventou "mulher sapiens" foi a própria Dilma:
    https://www.youtube.com/watch?v=uwdjZZJAvro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo que tenha sido ela a ter inventado o termo, há uma reapropriação que parece querer uma diminuição da pessoa de quem se fala. Posso até ser feminista mongolóide, anônimo, mas ao menos sou uma pessoa educada que não sai ofendendo os outros e se escondendo sob um "anônimo".

      Excluir
  2. Daniel, não ficou claro: você leu o livro ou não? Um incômodo com base apenas no título não é base suficiente para uma crítica relevante. Muito mais do que um mero ataque às dificuldades de oratória da "presidenta", o real questionamento é sobre se alguém -- homem ou mulher -- com tamanha incoerência linguística é mentalmente equipado para conduzir uma nação. Pelo que vemos, obviamente Dilma não é.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, não li o livro e posso fazer uma interpretação e uma análise sobre o texto de divulgação, que foi o que eu fiz. Ele é um todo, tem sentido, é um enunciado, logo passível de ser analisado. Ora, pessoas com problemas linguísticos não são incapazes ou podem ser tão quanto pessoas plenamente capazes linguisticamente. Aqui vale um daqueles pressupostos de Maquiável sobre a figura do Príncipe no que se refere a qualidades e vícios. No mais, o meu incômodo é com a ridicularização de uma mulher em cargo de poder, pois duvido que isso seria feito com um presidente homem e este tivesse esses problemas de incoerência. Nem mesmo com Lula e todas as coisas por ele proferidas se fez um livro o tratando dessa maneira.

      Excluir
    2. O Anônimo é semi-analfabeto, ou o quê? Só o título oferece sim dados para entendermos de onde fala o escritor, qual sua posição política, suas intenções e em que discursos ideológicos se baseia. Esse é o trabalho de interpretação, filho. Ele deve começar antes mesmo da leitura. Não precisamos ler 300 páginas de baboseira para entender a posição misógina e reaça do autor. Muito boa análise do Daniel.

      Excluir
    3. Daniel, lembra-se do Presidente Costa e Silva? E das piadas que faziam sobre suas falas?

      Excluir
  3. Ah, posts sujos de blogs sujos, de militantes sujos...
    Quanto incômodo não é mesmo?
    Aí está a estratégia mais básica da asquerosa esquerdopatia: Não consigo criticar o conteúdo? Chamo de machista, homofóbico, fascista, etc etc etc. Quem sabe algum cola...
    Tudo por uma bomba de fumaça, tudo por um desvio na atenção, bem no estilo "olha pra lá q tou roubando sua carteira".
    Lixo esquerdista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poderia lhe perguntar a mesma coisa, não é mesmo? Quanto incômodo com a minha postagem! Seu comentário se configura na estratégia mais básica da asquerosa direitopatia: Não consigo argumentar? Chamo de petista, de sujo, de lixo... Tudo uma bomba de fumaça, tudo por um desvio de atenção, bem no estilo "olha, eu sou um ignorante que não sabe argumentar e por isso saio babando espuma como um cão raivoso". No mais, você reduz esta página a um texto e o faz de forma preconceituosa e acrítica.

      Excluir
  4. li o livro e em momento algum percebi machismo por parte do escritor. E lendo o livro com as transcrições dos discursos, fiquei muito triste em saber que a nossa presidente não consegue concluir uma ideia qualquer. E lembrem-se que o Marcelo Tas também fez um livro com as "pérolas" do Lula. Essa critica de que o livro rebaixa a figura da mulher é equivocada e precisa ser analisada com mais coerência. Mesmo o brasileiro que ama a Dilma não pode fingir que é surdo e não perceber a total incoerência do seu discurso. Se o lema dela é Pátria Educadora, poderia dar exemplo e falar melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Simone. Tudo bom? Obrigado pel comentário. Que bom que você leu o livro e não percebeu as coisas que aqui disse e que o fiz, como digo no texto e mostro por meio dos prints, que a ideia dos releases sobre são as que eu percebi e coloquei no texto que você leu. O texto de release e sinopse algumas vezes destoam ou fazem parecer uma coisa do livro, quando na verdade ele é outra. Assim, eu reitero que o que foi dito não é uma crítica do livro, mas dele enquanto objeto desse texto da pré-venda. Isso não me torna surdo e nem petista em relação à presidente e aos problemas de sua adminsitração, apenas não concordo que parâmetros como boa retórica seja característica para se fazer de fato um bom presidente ou líder. A retórica e a linguagem se muito bem usados podem no final serem nada mais que um embuste, algo ilusório. Para mim, bons admistradores são aqueles que conseguem realizar as ações as quais se propõe e que realmente visam o povo. Neste ponto sim.podemos dizer que há problemas reais no governo. Pra mim, discursos coerentes ou não, não se mostram como coisas tão horríveis, quando colocados ao lados de outros problemas de Governo (e aí englobamos não só a presidente ou o executivo, mas todas as esferas, que é o que compõe o governo. Lembremos qur oposição também conforma o governo e eles não estão isentos dos problemas que passamos). De novo, muito obrigado pelo seu comentário pertinente e, principalmente, educado.

      Excluir
    2. E aí Simone o que tá achando do novo governo? E a pec 241 é uma otima solução né.

      Excluir
    3. PTralha nunca mais, xibungos mandioqueiros pro inferno

      Excluir
    4. Muito obrigado pelo comentário e, pra alguém que é Oficial de Justiça, você tem uma falta de educação ao fazer comentários que é impressionante. Ainda mais em postagens em que ninguém lhe ofendeu; não que se caso você tivesse sido ofendido fosse justificativa para também sair ofendendo os outros.

      Excluir

Ronrone à vontade.