23 junho 2015

Nem todos os livros que eu leio...

Há uma coisa que me chamou atenção, tanto em algumas respostas que li em uma pesquisa que lancei em alguns grupos literários, como em postagens diversas pelas redes sociais, que é o fato de blogueiros e vlogueiros não lerem nada além dos livros que resenham. Ou melhor dizendo, eles leem para resenhar, para falar do livro.

Eu tenho um blog voltado para literatura desde 2009, mais ou menos, com textos meus, trechos de livros que eu gosto e com o passar do tempo também resenhas; mas tudo sempre foi muito livre. Houve períodos que eu não postei nada e outros com uma presença constante. Atualmente tenho buscado a disciplina de postagens regulares em dias específicos. Aprendi isso com um amigo, que é vlogueiro.

Trabalhar dessa forma me exigiu um ritmo mais disciplinado de livros lidos e de textos escritos, já que além de resenhas, há os meus artigos de opinião. Além disso, há um ano eu mantenho uma coluna de literatura no site Os Entendidos, a Estante, na qual eu escrevo pelo menos sobre dois romances por mês.

Nenhum livro é repetido, com exceção de umas resenhas no início da Estante, já que se tratavam de livros voltados pra temática LGBT, que é o ponto para o qual eu tento convergir as minhas reflexões sobre a obra, por mais que ela não se enquadre no estilo e nem no público-alvo.

Sendo assim, a média de leitura por mês é de mais ou menos seis livros. Deveria, pelo menos. E, por mais que sejam livros que eu tenha escolhido, há a questão do compromisso, do prazo. Isso tudo ficou muito mais intenso com as parcerias que a coluna conseguiu. Por conta dos correios, às vezes, eu tenho uma semana para ler três livros; dois dos parceiros e um para este blog. É cansativo. MUITO cansativo. Há noites em que, mesmo com sono, sou obrigado a virar a madrugada e ler. Ou então, sucumbir ao sono e acordar cedo, para continuar.

Livros que me dão prazer, mas que ainda assim são trabalho.

Por isso que, cada vez mais, busco espaço para ler outros livros. Loucura, pode ser que sim, afinal é disso que estou meio que reclamando, não é? Do fluxo enorme de leitura. Acontece que, esses outros livros não são para escrever sobre e nem tem o compromisso de serem lidos em um certo número de dias. A sua leitura é fluida, pode ser abandonada a qualquer momento e retomada em qualquer instante.

E isso é libertador!

Sei que há colegas blogueiros e vlogueiros que compartilham essa sensação comigo. O único compromisso que temos é com o saborear do texto e do momento, aproveitar o fruir da leitura que é feita, da estória que nos é contada. Isso, claro nos dá algumas cartas na manga.

Primeiro que, caso qualquer coisa desande, podemos lançar mão dessa leitura para alguma resenha, caso o livro (desde que não seja o de parceria), não tenha sido lido em tempo hábil para que a resenha tivesse sido escrita. E o que muitos tem almejado, recentemente, que é o de alcançar de metas de leitura, coisa que eu ainda acho meio desnecessária e exibicionista. Enfim.


No mais, eu realmente acredito que não tenho que falar sobre cada livro que eu leio. Que há livros incríveis dos quais não consigo falar ou, simplesmente, não quero falar dele. Uma coisa que permanece pessoal, que, no máximo, compartilharei em algum encontro com um ou outro amigo.

Um comentário:

  1. Oi, Dan!!!!
    Conforme conversamos, eu comecei resenhando tudo o que lia, e agora, não mais. O blog (e, mais recentemente, também o canal) me ajudou a aumentar o ritmo das leituras. Acabei criando uma "reserva" de posts - que já está bem menor que antes -, e isso me permitiu mais leituras por puro prazer.
    Mas talvez tenha gente que leia num ritmo menor e, por isso, se ache na obrigação de resenhar tudo que escreve. O problema não é resenhar tudo. É se sentir na obrigação. Como vc falou, isso cansa. Aí, pode ser que a leitura deixe de ser um prazer.
    Beijos!
    Nati

    ResponderExcluir

Ronrone à vontade.