26 fevereiro 2014

O rei se inclina e mata

"O rei se inclina e mata", da Prêmio Nobel de 2009, Herta Müller foi lançado em 2013 pela Editora Globo, por meio de seu selo Biblioteca Azul.

O livro da escritora nascida na Romênia e que viveu sob o regime socialista de Ceauscescu, traz 09 (nove) ensaios nos quais ela põe como ponto central de reflexão, a linguagem, mas não por um viés estético, literário ou fora da vida. Os ensaios partem de suas experiências enquanto criança de um vilarejo à 30 km da cidade, das diferenças das posturas linguísticas existentes em apenas 30 km, das posturas linguísticas dos moradores do seu vilarejo, dos seus perseguidores políticos, já que esteve constantemente sob os olhos do governo. O modo como a linguagem não só se materializava, mas como ela definia as relações entre as pessoas, entre as coisas e entre a própria linguagem.

Müller, em uma linguagem que foge aos padrões de ensaios, cria algo próprio em sua busca pela compreensão de acontecimentos de sua vida e como isso a marcaram, de como isso modifica o modo como ela percebe a linguagem, deslocando o familiar, que traz a naturalidade, para o não-familiar, que causa um estranhamento nos olhos de quem vê e um incômodo em quem não percebe a não familiaridade das coisas, em quem não foi marcado pelo deslocamento. Questiona o pertencimento.

E, ao questionar o pertencimento, passa a questionar também o posicionamento da crítica literária e dos escritores, frente a esse pertencimento. Enquanto aquela se coloca como tudo o que está dentro do seu território físico como pertencendo ao presente, com o de fora coloca como se tudo fosse um passado e que não há mais a necessidade de se falar disso. Que há que se falar, no caso de Herta, da Alemanha, mas não uma Alemanha integrada, oriente e ocidente, mas da Alemanha a qual ela agora pertence, como se essa fosse a Alemanha real e a outra qualquer outra coisa, que não alemã.

A leitura é de uma densidade e de uma riqueza imagética, que chega ao lirismo, mas como mesmo afirma Herta, a poesia ali apresentada, não deve ser comparada a um trabalho poético bem feito, mas a um bom trabalho em prosa desenvolvido. O porquê disso? Só lendo o livro, que surpreende de maneira muito agradável. Inclusive em sua capa despretensiosamente infantil. Infantil?

Aqui, o link de alguns trechos de um dos ensaios de "O rei se inclina e mata"





Título: O Rei Se Inclina E Mata
Autor: Herta Müller
Tradução: Rosvitha Friensen Blume
Editora: Biblioteca Azul
Ano: 2013
Especificações: Brochura | 216 páginas
ISBN: 978-85-2505-397-8

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.