26 abril 2013

Soneto Luxurioso 26


Pietro Aretino

fonte da imagem: sensualiz-arte


Estes nossos sonetos do caralho,
Que falam só de cu, caralho, cona,
E feitos a caralho, a cu, a cona,
Semelham vossas caras de caralho.

Trouxestes cá, poetas do caralho,
As armas para pôr em cu e cona.
Sois feitos a caralho, a cu, a cona,
Produtos de grã cona e grã caralho.

E se furor, oh gente do caralho,
Vos falta, ficareis no pica-cona,
Como acontece amiúde co'o caralho.

Aqui termino essa questão da cona
P'ra não entrar no bando do caralho,
E, caralho, vos deixo em cu e cona.

Quem perversões tenciona
Aqui nestas asneiras logo as lê.
Que mau ano e mau tempo Deus lhe dê.

ARETINO, Pietro de. Sonetos Luxuriosos. Tradução, Introdução e Notas de José Paulo Paes. São Paulo: Cia.das Letras, 2000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.