04 julho 2012

Anaïs Nin

Anaïs Nin
Fonte: hilobrown
"O que está acontecendo é que meu trabalho fora do diário não possui a mesma originalidade. uma página do diário é mais comovente que as minhas páginas de criação artística. Então de tempos em tempos eu tenho vontade de publicá-lo - anonimamente - tal como ele é, terrivelmente humano, simples e direto, em um esforço sbre-humano para equilibrar as mentiras nos contos de fadas que eu achei que devia oferecer ao mundo. Foi má ideia nos educar com contos de fadas. tentei realizá-los para as pessoas, e isso é perigoso. Acaba-se perdendo a alma." -- Em carta ao pai. 


[[NIN, Anaïs. Incesto: De um diário amoroso: o diário completo de Anaïs Nin, 1932-1934. Anaïs Nin: com introdução de Rupert Pole; notas biográficas de Gunther Stuhlmann; tradução Guilherme da Silva Braga. Porto Alegre, RS: L&PM, 2008. p. 217]]

Um comentário:

  1. Simplesmente venero essa mulher. Te contei que comprei todos os diários dela em francês? Ainda não comecei a ler. Estou terminando de ler agora Fogo.

    Estou também com mais alguns livros dela que eu não tinha desde a última vez em que nos falamos: Fome de Amor, Eros Unbound e A fugitiva (de contos, apenas três, e todos presentes em Delta de Vênus).

    ResponderExcluir

Ronrone à vontade.