14 março 2012

Dia Nacional da Poesia

Musa Erato (musa grega da poesia lírica)
 Painel em carvalho de Simon Vouet (1590 - 1649)
Fonte: The Muse Erato
Hoje, dia 14/03 (quarta-feira), é o Dia Nacional da Poesia, data em que também comemoramos o aniversário de Castro Alves, poeta romântico da 3ª geração.

Pensei em muitas possibilidades para a postagem de homenagem ao Dia da Poesia, desde poemas do aniversariante, como de muitos outros poetas lusófonos. Entretanto, ao pegar meu volume de "Perto do coração selvagem", de Clarice Lispector, me deparei com uma passagem que correspondia a todas as minhas querências, que é mostrar a poesia como algo bonito e nobre, mas presente em nosso dia-a-dia, porque a vida é nobre em sua simplicidade. E agora, deixo-vos com Clarice:
- Papai, inventei uma poesia.
- Como é o nome?
- Eu e o sol. - Sem esperar muito recitou: - "As galinhas que estão no quintal já comeram duas minhocas mas eu não vi."
- Sim? Que é que você e sol tem a ver com a poesia?
Ela olhou-o um segundo. Ele não compreendera...
- O sol está em cima das minhocas, papai, e eu fiz a poesia e não vi as minhocas... - Pausa. - Posso inventar outra agora mesmo: "Ó sol, vem brincar comigo." Outra maior:
"Vi uma nuvem pequena
coitada da minhoca
acho que ela não viu."
- Lindas, pequenas, lindas. Como é que se faz uma poesia tão bonita?
- Não é difícil, é só ir dizendo.

LISPECTOR, C. Perto do coração selvagem: romance. - Rio de Janeiro: Rocco, 1998. p. 14.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.