23 fevereiro 2012

O gato e o passarinho

Um gato pegando um pássaro. Pablo Picasso,1939.
Fonte da imagem: Gatos

A aldeia escuta desolada
o canto da ave maltratada.
É o único pássaro da aldeia
e foi o único gato da aldeia
que o devorou pela metade.
A ave deixa de cantar,
o gato deixa de roncar
e de lamber o próprio focinho.
A aldeia faz ao passarinho
maravilhosos funerais,
e o gato, que foi convidado,
segue o caixãozinho de palha
onde o pássaro se amortalha,
conduzido por uma menina
que não para nunca de chorar.
- Se soubesse que isso te faria sofrer tanto,
diz-lhe o bichano,
eu o teria comido todo
e te contaria, depois,
que ele havia batido asas,
batido asas para o fim do mundo,
para um lugar tão longe
que ninguém nunca voltou de lá.
Tu sofrerias muito menos,
só um pouquinho de tristeza
e outro pouquinho de saudade.
Nunca devemos fazer
as coisas pela metade.

Poema de Jacques Prévert
Tradução de Carlos Drummond de Andrade

MASSI, Augusto; GUIMARÃES, Júlio Castañon (org. e notas). Poesia traduzida: Carlos Drummond de Andrade. Introdução de Júlio Castañon Guimarães. - São Paulo: Cosac Naify, 2011. p. 299 e 301.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.