30 março 2012

Lançamento da 2ª antologia do Prêmio Proex de Literatura da UFPA

Ontem (29/03), às 17h, no Centro de Convenções Benedito Nunes/UFPA, aconteceu o lançamento da 2ª antologia do Prêmio Proex de Literatura da UFPA. Dentre os textos que compõe a antologia, figura Uma noite de chuva, de Daniel Prestes, aluno do curso de graduação em Letras – Língua Portuguesa.

Abaixo, um texto do autor, sobre as ideias usadas para a construção do texto

Uma noite de chuva, em sua primeira versão, não tinha a estória da moça grávida intercalada com a do menino no café, em verdade, o conto só ia até a parte em que o garoto dormia na cama, numa noite de forte chuva. 

Por conta do concurso da universidade, resolvi aumentá-lo. Nisso, justapus outra história que tinha vontade de desenvolver, no entanto, as narrativas eram distintas, logo tive que fazer adequações nas propostas.

Em relação ao menino, troquei a figura do ser amado (que era outro menino) pela figura paterna, já que na parte da moça, ela encontra-se grávida à espera de seu homem, na janela. Esta parte, a da moça, de início, era para ser um conto escrito para uma pessoa próxima. Já a outra teve inicio num movimento dos sentimentos, uma sensação, que no fim deu na primeira parte do conto, e que, no geral, era para ser aquilo mesmo.

Para fazer a aproximação, entre as duas histórias, recorri às ideias das religiões pagãs, onde o deus é amante e filho da deusa, além de elementos simbolistas de cisão da persona. Já a idéia de dia chuvoso veio mesmo de um conto de Eça, que havia muito impregnado minha mente, com a sua narrativa arrastada e de belas figuras, sempre evidenciando o clima chuvoso e tedioso, que, por sinal, muito me agrada e é corriqueiro em nossa cidade (Belém-Pa).

A mulher na cabana, surgiu-me de uma das historias de Clarice, não lembro se romance ou conto, mas era a de uma mulher que estava deitada em uma cama, numa casa humilde, em região praiana. Contudo, a espera na janela e a mulher do conto, em nada se relacionam com a mulher de Clarice, o que dela me serviu de inspiração foi a solidão de uma pessoa na praia.

Para essa parte da moça, eu tinha uma ideia mais alegre para o enredo, como se fosse uma canção e rodopios femininos, e a figura da mulher era a de alguém real, presente na minha vida, porém logrou que, esse conto não fosse escrito, como se predestinado a ser a contraparte de algo que há algum tempo já existia.

Confira o texto Uma noite de chuva em português, inglês e francês.

Fotos Fernando Negrão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.