25 fevereiro 2012

Falemos baixo nesta alcova...

Foto de Pablo Galvão
Fonte da Imagem: P. Galvão Flickr

Falemos baixo nesta alcova
em que as horas estão paradas.
O relógio diz qualquer coisa
a nossas almas abraçadas.

Eis aqui a Lâmpada e o Livro,
dos pobres o único portento.
O relógio apregoa a vida,
o amor, a luta, o sofrimento.

Falemos baixo. Nesta alcova,
o silêncio entreabre-se em flores.
O relógio nos diz que a vida
é feita de pranto e amores.

Ao nosso lado, o Sonho inclina
seu olhar claro, que se fana.
Enquanto isso, o tempo caminha
(Oh!, o ruído da luta humana.)

Poema de Henry Spiess 'Parlons bas dans la chambre close'
Tradução de Carlos Drummond de Andrade


MASSI, Augusto; GUIMARÃES, Júlio Castañon (org. e notas). Poesia traduzida: Carlos Drummond de Andrade. Introdução de Júlio Castañon Guimarães. - São Paulo: Cosac Naify, 2011. p. 354-5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.