30 junho 2011

O Homem dos Sonhos

[...]

A propósito: conhece alguma coisa mais desoladora do que isso de só haver dois sexos?

[...]

“Glória maior foi a que talvez atingí na minha viagem a um mundo perfeito onde o sexo não são dois só... Pude ver labirintos de corpos entrelaçados a possuírem-se numa cadeia de espasmos contínuos, sucessivos e atuais, que se prolongavam uns pelos outros em fuga distendida...Infinito! Infinito! Era, ruivamente era, o cântico aureoral da carne, a partitura sublime da voluptuosidade que fremiam todos esses sexos diferentes vibrando em turbilhões... A vida a deslizar em ondas... a vida a deslizar em ondas!...”


SÁ-CARNEIRO, Mário de. O Homem dos Sonhos. In: Céu de Fogo. In: Obra completa: volume único. – Introdução e organização Alexei Bueno. – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995. p. 476-482. (Biblioteca Luso-brasileira. Série portuguesa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.