24 janeiro 2010

Zola

Nada é mais dolorosamente calmo que um crepúsculo de outono.

ZOLA, Émile. Thérèse Raquin

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.