11 julho 2009

Dor

Cher Dan,

Não sei mais o que fazer! Não consigo mais usá-lo a meu bel-prazer.

Ontem, estávamos Leon, Isaac, Miguel e eu em meu apartamento, tudo muito a vontade; sabes que aqui sempre há a sensação de liberdade - e as coisas foram esquentando quando começamos a brincar de fazer cócegas uns nos outros, estávamos um pouco alterados por causa do vinho que havíamos ingerido e ainda ingeríamos em demasia, não posso dizer que a intenção não era a de esquentar o ambiente pois era, fato.

Então Leon do nada me pede para ligar pra Hans e chamá-lo, pois ele iria adorar fodê-lo novamente. Muito a contragosto eu o chamei até lá e em pouco tempo ele já estava satisfazendo-nos, pra ser mais preciso a eles.

Não tens ideia de como eu fiquei com raiva de ver os meninos servindo-se dele, e ele olhando pra mim com a cara mais safada do mundo com aquele olhar de Estais gostando?.

Quis sumir dali, contudo não foi o que fiz, acabei por me inserir na brincadeira e pra extravasar o que estava sentindo meti nele e nos outros com toda força que tinha, e os putos ainda fizeram questão de no fim elogiar dizendo que eu havia sido esplendoroso. Isso me deu mais raiva ainda.

Dan, não posso deixá-lo saber destas coisas, assim como tenho que deixar de senti-las. Merde de vie! Porque não estás aqui comigo? Odeio o fato de ainda estares preso a faculdade. Por favor venhas ver-me assim que entrares nessas malditas férias, preciso muito de ti.

Beijos,

do seu eterno Louis.

Belém (PA), carta não datada.

3 comentários:

  1. Pois é, mas agora eu sei, e é tarde pra gente retomar tudo... Acho que eu jamais deveria ter partido.

    ResponderExcluir
  2. Olha só, fico um tempo sem ler, qndo volto ja ta assim, essa bagunça . rsrsrrs

    Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog, de felino internauta iniciante para felino senior, digamos assim...

    ResponderExcluir

Ronrone à vontade.