02 maio 2009

Contrato


Louis: [impaciente] Então, porque me chamaste aqui, Hans? Espero que não seja para dizeres o quanto eu sou um canalha e de como estás magoado comigo pelo o que aconteceu na festa do Dan, porque se for...

Hans: [muito sério] Será que poderias calar-te por um momento e me deixar falar o motivo de ter te chamado para este drink?

Louis: [incrédulo] Como??? Ah, sim claro... Fique a vontade. [remexendo seu dry martini]

Hans: Obrigado. Bem, é tudo muito simples e por isso serei bem rápido, também não repetirei, ou seja, preste bastante atenção no que vou te dizer. Eu te quero, não importa de que maneira seja isso, relacionamento aberto, encontros cauais, relacionamento sério, o que for. Não haverá cobranças de minha parte, de coisa alguma, é só me chamar a qualquer hora e em qualquer lugar.

Algum tempo depois, já no meu quarto.

Hans: Ah, Louis! Continuas tão bom como sempre, minhas expectativas não chegavam nem perto disso! Então, o que queres de mim agora?

Louis: Que vás embora, pois vou me arrumar para encontrar-me com Leon.

xxx

Foi assim que toda esta situação começou, um relacionamento em que eu estava na posição de Senhor. Não vou esconder que não fiquei embasbacado com a atitude de Hans, todavia não vou ser hipocríta e dizer que não me deliciei deveras com a proposta feita.

Gostei tanto que até me aproveitei muitas vezes dela, das mais variadas formas possíveis, como arranjos entre nós e Leon, que, pelo que pude perceber parece ter se divertido até mais do que eu; dentre outros mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.