09 abril 2009

Le dejeuner du matin

Louis: Bonjour, Monsieur.
Dan: Bonjour. Hum... cadê o teu 'amiguinho'? [perguntando entre sorrisos irônicos]
Louis: Ah, Leon resolveu curtir na cidade ontem de noite. Na verdade, ele não teve escolha, depois da ceninha que ele fez ontem após ter me visto com Hans no teu quarto. [fazendo cara de quem não tem culpa e que não entende o porque das pessoas as vezes serem tão dramáticas, e se servindo de café]
Dan: Então tu estás realmente envolvido na saída repentina de Hans da festa? Louis!
Louis: [fazendo cara de quem vai falar algo óbvio] Ora, é claro que eu tenho e sabes muito bem disso, que outro motivo ele teria para sair correndo daqui? Por falar nisso ele estava remexendo as tuas coisas ontem a noite e, segundo ele mesmo me contou era para descobrir meu paradeiro. Ele me contou depois que transamos e antes de eu dizer que tinha sido apenas um sexo casual.[com um olhar de satisfação]
Dan: Louis, porq...
Louis: Nem me venhas com aquelas liçãozinhas baratas de moral, de que eu fui muito canalha com ele e coisa parecida. Porra, era o que ele queria não era?! Então, eu dei mas não prometi nada. Se tivesse feito isso, aí sim poderias me chamar do que quiser.
Dan: Se é assim que pensas...
Louis: Não adianta que não vou sentir remorsos, you know that my conscious doesn't work very well. [sorrindo debochadamente]
Dan: Ok, my dear boy. So, in your last letter you said you didn't meet Fritz, why?
Louis: Bem, a Europa estava uma loucura... [perdido em pensamentos]
Dan: Louis?
Louis: Sim, me desculpe... [levemente embaraçado] Bem, ao que parece ele não estava no clima, até recebi uma carta dele, um pouco antes de vir para cá. Nossa, ele parecia estar muito triste e nostálgico, também. Até delirar um pouco ele delirou, dizendo que seria bom morarmos juntos de novo.
Dan: Não sabia que tinham morado juntos.
Louis: Sim, foi um pouco antes do Eugènie. E como eu estava falando, isto é meio que um delírio, acho que é porque ele anda se sentindo muito sozinho e como tivemos bons momentos juntos...
Dan: Bons momentos juntos? Sei! [sendo irônico]
Louis: Nunca ficamos, se é isso que estás a insinuar, muito embora eu tenha tido uma queda por ele... Contudo isto foi há muito tempo atrás. [se levantando]
Dan: Já vais? [com cara de decepcionado]
Louis: Sim, vou ver onde anda Leon e depois pegar a carta do Fritz para leres.

***

Carta de Fritz à Louis XIV, mencionada acima:

Mein Schatz,

Sinto que já não sou mais o mesmo Fritz de antes, dos velhos tempos que eu frequentava a Universidade. Aquele menino jovial, sempre dado a brincadeiras, com seu cigarro na ponta de um dedo e suas passagens frequentes nas deuxièmes voitures de la vie, deu lugar a um cara sério, duro, e que já não é mais o mesmo. Não visto mais aqueles paletós coloridos - estou sempre de preto ou azul, e quando me bate aquela saudade dos nossos antigos tempos em que só vivíamos juntos, feito dois irmãos, ponho o velho xadrez príncipe-de-Gales.

Hoje sou um doutor, mas isso não me satisfaz - antes fosse aquele molequinho de antanhos, correndo atrás da sua maîtrise, xingando os professores em alemão a torto e a direito. Hoje cheiro o novo pó colombiano para curtir a minha viuvez - posto que aquele moço com quem fui casado, o Jean-Marcel-Louis, morreu e me deixou. Sinto falta dos tempos em que era feliz.

Um dia, eu me mudo e voltamos a viver próximos um do outro. Quem sabe não existe uma Universidade perto daí que aceite um velhaco alemão? Preciso ser jovem de novo, como éramos naqueles bons tempos.

Umschlungen millionen,

Fritz

Prof. Dr. Friedrich Wilhelm Franz Reichsgraf von Galen
Freie Universität Berlin, Humanischeswissenschaftsinstitut,
Unter den Linden, 90, Berlin

*Agradecimentos ao Guilerme de Baqueiro pela composição da carta que Fritz escreveu ao Louis XIV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.