08 janeiro 2009

O início do meu caso de amor com o rei

Nos encontramos em um café. Na verdade ele me notou naquele dia, pois já algum tempo eu o tinha cuidado e tomado pra mim a idéia de que aquele gato seria meu.

Eu olhei, ele olhou de volta e sorriu, encaminhou-se até a minha mesa com o seu capuccino e perguntou se poderia sentar-se comigo para conversarmos, eu aceitei, é claro, e ele foi galante e gentil como um verdadeiro nobre. As horas passaram e quando dei conta de mim já era noite, fui me despedindo dele e dizendo-lhe que tinha sido uma tarde muito boa, quando ele perguntou para que lado eu iria, como ao que parece íamos na mesma direção (o que hoje eu tenho certeza não era verdade) ele se propôs a acompanhar-me e assim prolongar o momento prazeroso ao qual estávamos entregues.

Ao chegar em meu apartamento ofereci-lhe uma xícara de café, a qual prontamente foi aceita. Entramos. Ele sempre muito sedutor foi tentando me envolver, porém eu não queria só isso, eu queria tê-lo pra mim por muito mais tempo, e não apenas por uma noite, então docilmente me recusei a passar a noite em sua adorável companhia, se é que vocês compreendem. Utilizei-me de todos os artifícios que alguém novo e com cara de inexperiente poderia usar.

Trocamos nossos telefones.

Começamos a nos encontrar sempre, e sempre em parques e cafés, a fim de que pudesse tentá-lo e ao mesmo tempo impedi-lo de uma atitude mais ousada, ele foi se apaixonando e eu mais ainda, tanto que ficava insuportável as vezes continuar com o meu plano.

Até que um dia marquei de nos vermos em um pub para ouvirmos música e tomarmos um drink, fora isso seguimos o mesmo ritual de sempre, porém após o café eu me entreguei as suas doces palavras, ao seu sedutor perfume e ao seu toque quente e suave.

postado originalmente em: danpotski

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ronrone à vontade.